Valentino apresentou sua coleção Pre-Fall 2019, em Tóquio, unindo, pela primeira vez, o feminino e o masculino.

A maison, que não realizava um desfile no Japão desde a década de 80, escolheu um armazém de concreto para o show, o que fez com que as peças brilhassem. 

 “Eu amo a cultura do Japão. É tão moderno com um senso de tradição que é romântico, não nostálgico – faz parte do presente”, disse Pierpaolo Piccioli.

“A cultura ocidental é sobre simetria, perfeição, beleza estática, enquanto o wabi-sabi é mais próximo da ideia de harmonia, de graça interior. É realmente interessante para este momento – no passado, a beleza era a perfeição, mas eu realmente sinto que beleza é sobre diversidade, que essa ideia de wabi-sabi é muito moderna neste momento”, completou.  

Ainda no conceito wabi-sabi, Piccioli também se encantou pela arte japonesa de kintsugi, de consertar as rachaduras de porcelana quebrada com um efeito dourado fundido. 

O objetivo de Piccioli era manter a beleza e o romantismo Valentino e aplicar a noção de wabi-sabi, atualizando as peças.

Assim, estampas florais foram tingidas de preto e pequenos botões colocados em um vestido de malha com babados pela saia. Um vestido de coquetel dos anos 80 virou um top de corte solto e livre. Já um volumoso casaco, tornou-se um sobretudo impermeável, com detalhes de renda preta. 

Havia, ainda, uma série de vestidos de tule com babados. Num deles, o tule estava tão reunido que parecia pele. Em outro, fileiras de tubos dispostos em camadas para formar um corpete que lembrava uma armadura samurai. 

Apareceram na passarela peças da colaboração com a Moncler e imagens do fotógrafo japonês Izumi Miyazaki em vestidos e parkas. 

Ao final, quando os últimos vestidos vermelhos passaram pela passarela, houve uma tempestade de pétalas de rosa vermelha. 

Confira a seleção de looks:

 

Fontes: Vogue Runway, WWD e Now Fashion.