Spread the love

A coleção de alta-costura Primavera 2022 da Valentino foi sobre o empoderamento do corpo.

A escolha de algumas das modelos não foi por acaso. “Ela foi informada de que nunca iria desfilar de alta-costura. Na alta-costura você nunca vê esses corpos. Nunca”, declarou Pierpolo Piccioli, costureiro que vem mudando padrões. Para essa coleção de alta-costura Primavera 2022 da Valentino, intitulada Anatomia da Costura, Piccioli resolveu trazer o clássico, mas mudar os valores.

“Quando você faz alta-costura, você tem o modelo da casa. E você aplica o corpo da modelo da casa em 50 ou 60 modelos na passarela. Eu queria quebrar essas regras e abraçar a ideia de diferentes proporções de corpo, diferentes tamanhos, diferentes idades. Mas era impossível fazer isso com apenas um modelo de casa. Então, quebrei as regras e consegui 10 modelos de casas com corpos de proporções diferentes”, explicou Piccioli.

As silhuetas eram mais dinâmicas, perfeitamente ajustadas ao corpo do modelo e se pareciam com as da década de 1950. A estética estava mais próxima do glamour antigo de Hollywood, ainda mais com as luvas, tanto de ópera quanto as mais curtas.

Havia um vestido marrom coberto por dois quilos de contas de vidro veneziano bordadas à mão por três meses, calças largas de alfaiataria e as bordadas com lantejoulas, camisa branca em crepe de seda, saia de cetim cinza bordada à mão com lantejoulas prateadas, conjuntos monocromáticos, capas com franzidos, plumas e estampa floral maximalista.

As formas e as proporções foram muito bem pensadas, como em um vestido lilás adornado com laços ao redor do decote, drapeados que abraçavam a cintura e vestidos com um ombro só.

Não poderiam faltar as belas combinações de cores como rosa e verde, azul e bege, fúcsia e dourado, marrom e laranja.

As diversidades de corpos e de idade também foram pontos de destaque. “Isso pode transmitir uma mensagem forte para os jovens que estão lutando com alguma coisa. O corpo se modifica com a idade. Eles ainda são tão bonitos, mas a forma é diferente. Eu queria capturar a beleza de como o corpo se modifica”, comentou.

“Desde a Idade Média, sempre houve cânones de beleza. Uma vez que nos cansamos de todos os cânones, descobrimos que a humanidade é o único cânone válido: liberdade; seja vocÊ mesmo. Esse é o verdadeiro cânone”, disse Piccioli.

Confira a seleção de looks:

Gostou do post? Compartilhe-o!

Siga-me no instagram: @passarelando

Acompanhe minha página no Facebook: Passarelando

Acompanhe-me no Youtube

Site | + posts

Bacharela em Direito e apaixonada por moda. Criadora do Passarelando. Escrevo sobre moda, história e arte, além de tendências, dicas, looks de Tapete Vermelho, inspirações para looks do dia e o melhor das Semanas de Moda Nacionais e Internacionais.