No último dia de São Paulo Fashion Week N47, resolvi destacar os desfiles: Flavia Aranha, Projeto Ponto Firme e Cavalera

Flavia Aranha, estreante na São Paulo Fashion Week, trouxe moda brasileira sustentável e minimalista.

O urucum e o pau-brasil foram usados para tingir os tecidos de forma natural.  

As sandálias, que combinavam com os looks, foram feitas por Lane Marinho. 

Confira a seleção de looks e detalhes:

 

O Projeto Ponto Firme é um trabalho do estilista Gustavo Silvestre, que ensina crochê a detentos. 

Para essa última coleção, os modelos em crochê foram desenvolvidos pelo estilista com os reeducandos da Penitenciária II “Desembargador Adriano Marrey”, em Guarulhos. 

O desfile foi marcado pela cor e pela diversidade. 

Confira a seleção de looks e detalhes: 

 

Essa edição da São Paulo Fashion Week marcou a volta da Cavalera ao evento após 3 anos. 

Antes da apresentação, a marca pediu um minuto de silêncio em homenagem ao modelo Tales Cotta. Durante o desfile, o rapper Rico Dalasam, convidado pela marca, desabafou: “Não era para ninguém estar aqui. O cara acabou de morrer e vocês estão aqui como se a vida não valesse nada, nada, nada. Não era para ninguém estar aqui.”

Para o inverno 2019, a Cavalera resolveu voltar às origens, com moda streetwear

Há muito jeans e couro, além de xadrez,  estampa animal, dourado e quadriculado. 

O neon também chama muito a atenção. 

Confira a seleção de looks e detalhes:

 

Fonte: FFW.