Spread the love

Para a coleção Pre-Fall 2020 da Dior, Maria Grazia Chiuri trouxe designs mais simples, mas atemporais.

Ao contrário das outras coleções da Dior, a Pre-Fall 2020 não teve uma fonte de inspiração. “Foi uma grande decisão não falar e não fazer uma coleção onde temos uma referência. Não há referências. Estamos falando sobre nossos códigos e como eu trabalho nesses códigos ”, disse Chiuri

Em seu Manifesto para a Dior, Maria Grazia Chiuri dividiu a coleção Pre-Fall 2020 em 10 partes, com 10 declarações e fotografias. Elas vão de “Moda é política. Moda é desejo”, até “Escolher um vestido é uma atitude”, e abordam, em geral, sustentabilidade, processo criativo, produção, inclusão, identidade e a relação entre passado e futuro.

“A ideia da moda é que ela tenha que criar o efeito surpresa, causar emoção. Quero dar emoção, mas, ao mesmo tempo, acho que temos que ser consistentes e criar peças que não sejam apenas sazonais”, explicou Chiuri. A ideia é comprar menos e ter as peças essenciais, que façam com que você se sinta confiante.

O tradicional blazer Bar da Dior veio em tecidos de lã, em tafetá bege ou azul marinho e em jacquard com um padrão de camuflagem.

No geral, as estampas lembraram muito as dos últimos desfiles de Outono 2019Primavera 2020 da Dior, como a estampa xadrez, que veio em peças de lã e em várias proporções, a camuflagem e os elementos de jardinagem.

Tivemos camisas, trench coats, conjuntos lindos de blazer e shorts ou minissaias. Eu, particularmente, amei as combinações de macacão ou tops usados com camisas.

Os vestidos tinham um ar retrô, como os de camisa com mangas curtas amplas e os sem alças.

Os acessórios da vez são os bucket hats, boinas, sapatos baixos pontudos usados com meia arrastão e botas.

“Meu sonho é que os códigos da Dior e os meu sejam muito claros, porque, no final, as mulheres podem usar os códigos como quiserem. Não quero impor um ponto de vista sobre a silhueta. Eu apenas sugiro”, declarou.

Confira a seleção de looks:

 

Fontes: Vogue Runway e WWD.