Spread the love

As mortes injustas de George Floyd, Breonna Taylor e Ahmaud Arbery provocaram uma reação em todo o mundo, tanto no ambiente virtual como nas ruas.

Mesmo com a pandemia do coronavírus, os manifestantes apoiadores do movimento Black Lives Matter continuam a unir-se para combater o racismo, o fascismo e a opressão policial.

 Pela internet, ativistas têm compartilhado informações de protesto, links de doações e palavras de esperança. Ao lado deles, marcas das indústrias da moda e da beleza, além de outras empresas, têm usado suas mídias para apoiar entidades, bem como fazer doações.

Confira abaixo algumas das marcas que estão apoiando diretamente o movimento:

Asai

A Sai Ta está reproduzindo o incônico vestido tie-dye usado por Rihanna e o produto da venda será inteiramente doado a Black Lives Matter, Solace Woman’s Aid e The Voice of Domestic Workers.

Balenciaga

A Balenciaga estabeleceu uma doação anual no dia 25 de maio para a NAACP (National Association for the Advancement of Colored People). Além disso, a marca de moda planeja apoiar ações locais contra o racismo na França, criando um fundo com sede naquele país.

Fear of God, Off-White, Pyer Moss +

A Fear of God se juntou uniu a oito marcas de streetwear para uma super colaboração para uma camiseta de caridade dedicada a George Floyd e sua filha Gianna. O produto completo da camiseta será doado ao Gianna Floyd Fund.

Marques’Almeida

No dia 31 de maio, a marca afirmou que doará 20% de todas as vendas de seu website ao movimento Black Lives Matter.

Mented

A marca de beleza comandada por negros doará parte de todas as vendas para beneficiar protestos nos Estados Unidos durante o mês de junho, começando com fundos de fiança na cidade de Nova York.

Staud

A Staud doou US $ 10.000 para a Color of Change e, além disso, prometeu 10% de todas as vendas de junho para a organização sem fins lucrativos.

Fenty

Rihanna suspendeu as vendas da Fenty em homenagem ao Blackout Tuesday. Além disso, foram feitas doações para o Black Lives Matter, The Bail Project, Reclaim the Block, Color of Change e Movement for Black Lives.

Kering

A Kering, marca-mãe de marcas de luxo como Gucci, Saint Laurent, Bottega Veneta e Balenciaga, comprometeu-se a doar para a NAACP e a Campaign Zero.

“Todos os dias, o Grupo e suas marcas continuarão desenvolvendo iniciativas e programas internos para promover o respeito, a igualdade e a justiça, reconhecendo que é uma jornada e que estamos comprometidos em continuar fazendo o trabalho”, afirmou a Kering pelo Instagram.

Gucci

O CEO da Gucci, Marco Bizzarri, o diretor de criação Alessandro Michele, e os funcionários da Gucci assinaram uma carta afirmando seu compromisso em “lutar para acabar com o racismo sistemático, fanatismo, violência policial e opressão”.

Além disso, através do fundo de Impacto para Mudanças na América do Norte da Gucci, a marca doará para NAACP, Campaign Zero e Know Your Rights Camp.

Peter Do

Durante o mês de junho, as vendas online da Peter Do serão doadas a várias organizações da Black Lives Matter e instituições de caridade da linha de frente. A marca listou no Instagram Color of Change, BYP100 e Black Visions Collective como instituições de caridade e organizações que receberiam as doações.

Reformation

A Reformation, marca de roupas sustentáveis, informou em seu Instagram que doou para as seguintes organizações: Black Lives Matter, Reclaim the Block, Black Visions Collective, NAACP e ACLU.

Target

A Target doará US$10 milhões para organizações como a National Urban League e o African American Leadership Forum. Além disso, a empresa está oferecendo 10.000 horas de serviços de consultoria gratuitos para pequenas empresas comandadas por pessoas negras em Minneapolis e St. Paul, Minnesota.

Fashionnova

No início de junho, a Fashionnova prometeu doar US $ 1 milhão ao longo do restante do ano para várias organizações, começando com o Black Lives Matter, o Fundo Legal e Educacional da NAACP e Your Rights Camp.

Loewe

O diretor criativo da Loewe, Jonathan Anderson, e o CEO Pascale Lepoivre, prometeram se tornar parte da solução para a questão do racismo sistemático em todo o mundo. “Assumir esse compromisso significa que devemos fazer mais do que apenas uma declaração e ter mais do que apenas um plano”, diz a carta postada no Instagram da marca. “Estamos ansiosos para compartilhar mais com vocês como parte da contínua dedicação da Loewe à mudança. Enquanto isso, ouvimos seus gritos sobre o Black Lives Matter e os ecoamos com orgulho”.

Stella McCartney

Stella McCartney doará  para o Fundo de Defesa Legal da NAACP para ajudar a combater a injustiça racial. “O racismo é uma pandemia que mata. Subjuga. Encerra. Humilha”, escreve a estilista no Instagram. “Somos a vacina – devemos permanecer fortes e nos unir contra a ignorância sistêmica hoje e começar a construir um amanhã melhor para todos”.

PrettyLittleThing x Saweetie

A PrettyLittleThing lançou uma coleção colaborativa com a cantora Saweetie no dia 1º de junho. 100% das receitas serão doadas diretamente ao Black Lives Matter.

Jonathan Cohen

A floricultura de Jonathan Cohen, que o designer estabeleceu como um modo de animar as pessoas durante a pandemia do coronavírus, tornou-se um recurso para arrecadar dinheiro para o movimento Black Lives Matter. 100% dos rendimentos do buquê digital “For George Floyd” foram doados primeiro ao Minnesota Freedom Fund; depois que a organização levantou US$20 milhões, pediu à equipe de Cohen que começasse a doar para outras organizações necessitadas.

Marc Jacobs

Marc Jacobs escreveu em seu Instagram no dia 31 de maio: “Uma vida não pode ser substituída. Black Lives Matter” em uma foto da placa de sua loja em Los Angeles, que foi riscada e substituída pelos nomes George Floyd e Sandra Bland.

Em outro post, o designer escreveu: “A propriedade pode ser substituída, a vida humana não pode”.

Ganni

A marca de Copenhague anunciou que doará US$100 mil para a NAACP, Black Lives Matter e ACLU. “Sabemos que isso não basta – precisamos continuar ouvindo, pesquisando e educando-nos sobre a injustiça sistemática e a violência sancionada pelo Estado contra os negros em todo o mundo”.

O site da Ganni estava fechado no dia 1º de junho com uma página inicial pedindo aos compradores em potencial que considerassem doar para organizações anti-fascistas. A marca também está incentivando os criativos negros a enviar-los por mensagem, pois planeja encomendar trabalhos para compartilhar em suas plataformas de mídia social.

Puma

A Puma fez uma doação ao Minnesota Freedom Fund, uma organização sem fins lucrativos que combato os danos do encarceramento, pagando fiança para pessoas de baixa renda que não podem pagar.

H&M

A H&M prometeu doar US$500 mil à NAACP, Color of Change e ACLU). “Apoiamos essas organizações em seus esforços por justiça, direitos econômicos e empoderamento democrático”, afirmou a marca.

Fila

A Fila doou US$100 mil para o movimento Black Lives Matter. “Hoje e todos os dias somos solidários com a comunidade negra e usaremos nossa voz para apoiá-la, como você sempre nos apoiou”, afirmou a marca.

Gap Inc. Family

A Gap Inc. doará US#250 mil à NAACP e Embrace Race.

SHEIN

A SHEIN prometeu doar US$200 mil a várias organizações lideradas por negros, começando com o Fundo de Defesa Legal e Educacional da NAACP. A cada semana, a marca fará uma doação para diferentes organizações.

Nike

A Nike prometeu doar US$40 milhões para apoiar a comunidade negra e se comprometeu a investir em “organizações que colocam a justiça social, a educação e a abordagem da desigualdade racial nos Estados Unidos no centro de seu trabalho.”

Além disso, Michael Jordan e a marca Jordan prometeram US$100 milhões ao longo dos próximos dez anos para uma série de causas semelhantes.

JW Anderson

O designer de Londres prometeu uma doação pessoal à organização britânica Black Pride. “Quero deixar claro que sou solidário com todos que se manifestam contra o racismo e a brutalidade policial em todo o mundo”.

Christopher Kane

O estilista anunciou uma doação para o Black Minds Matter e o Stephen Lawrence Trust. “Também estamos comprometidos em nos educar e pressionar por mudanças políticas, ao mesmo tempo em que apoiamos jovens criativos negros na comunidade da moda”.

Prabal Gurung

A Prabal Gurung criou uma edição limitada de moletons com a frase “STRONGER IN COLOR“, que ficará disponível para a compra até o dia 15 de junho. 100% da receita líquida será doada ao Bail Project em apoio ao movimento Black Lives Matter.

Marcas como Adidas, Maybeline, Urban Decay, Oscar de la Renta, Versace, Carolina Herrera, Prada, Valentino, Fendi, Dior, Louis Vuitton, Burberry, Chanel Jacquemus também mostraram seu apoio à causa Black Lives Matter pelo Instagram.

 

 

Gostou do post? Compartilhe-o!

Siga-me no instagram: @passarelando

Acompanhe minha página no Facebook: Passarelando

Acompanhe-me no Youtube