Spread the love

Nicolas Ghesquière pensou no figurino de um vampiro que viaja no tempo para criar a coleção de Primavera 2022 da Louis Vuitton.

Nicolas Ghesquière se inspirou nas roupas que criou para o figurino da embaixatriz da marca, Alicia Vikander, para sua série da HBO “Irma Vep”. Na série, Vikander interpreta uma atriz americana que vai à França para estrelar o remake do cinema mudo “Les Vampires”, de 1915, e descobre que os limites entre realidade e ficção estão se confundindo. “Gosto da figura de um vampiro que viaja através dos tempos, adaptando-se aos códigos de vestimenta da época”, declarou Ghesquière.

Além disso, o estilista homenageou o fundador da casa que, nesse ano, comemora seu 200º aniversário.

Usada por Louis Vuitton para chegar aos apartamentos da Imperatriz Eugénie, esposa de Napoleão III, de quem ele era fabricante exclusivo de baús, a Passage de Richelieu do Louvre foi decorada como um salão de baile com vários lustres antigos e painéis espelhados. “Louis Vuitton inventou maneiras de transportar as crinolinas da Imperatriz Eugénie, com baús funcionais e leves para transportar as estruturas”, explicou Ghesquière.

Foi um grande balanço do tempo que misturou alta-costura com ready-to-wear, séculos XIX e XX. “Queria situar esta coleção do ready-to-wear no limiar da alta-costura. É um luxo descarado que demonstra a opulência do savoir-faire da maison”, disse o estilista. “Neste baú, juntamos um vestido dos anos 1920, jeans dos anos 1990 e uma blusa com bolinhas dos anos 1980, por exemplo. O tempo passa e as roupas evoluem. Junto com o valor sentimental que elas acumulam. A casa está totalmente alinhada com este tipo de transmissão”, completou.

As silhuetas eugenianas do final do século XIX foram trazidas nos primeiros looks da coleção com volumes nos quadris. O estilista ainda combinou toucas de contas dos anos 1920 com estruturas, óculos de sol e máscaras no estilo art nouveau e vestidos delicados com jeans.

Os anos 1980 vieram com paletós oversized e poás e os anos 1970, com vestidos esvoaçantes.

As capas de chiffon trouxeram ainda mais drama e história às produções.

Botas no estilo peep toe completavam os looks.

No final do desfile, uma manifestante contra mudanças climáticas representado Amis de la Terre França entrou na passarela carregando uma faixa que dizia Consumo excessivo = Extinção.

Confira a seleção de looks:

Gostou do post? Compartilhe-o!

Siga-me no instagram: @passarelando

Acompanhe minha página no Facebook: Passarelando

Acompanhe-me no Youtube

Site | + posts

Bacharela em Direito e apaixonada por moda. Criadora do Passarelando. Escrevo sobre moda, história e arte, além de tendências, dicas, looks de Tapete Vermelho, inspirações para looks do dia e o melhor das Semanas de Moda Nacionais e Internacionais.