Spread the love

A Balenciaga lançou sua coleção de Primavera 2022 intitulada Clones com uma crítica à obsessão da moda por tendências.

A coleção de Primavera 2022 da Balenciaga trata da nossa visão de mundo através do filtro, a imagem que foi alterada e photoshopada. Demna Gvasalia, diretor criativo da grife, trouxe confusão entre o que é real e o que é falso.

No fashion film dirigido por Quentin Deronzier, Eliza Douglas, que participou de desfiles da Balenciaga desde a primeira coleção de Demna Gvasalia para a grife em 2016, aparece desfilando todos os looks, quebrando a barreira entre o que é feminino e masculino.

Todos na plateia estão vestindo preto, mas ninguém estava lá. “É um show que nunca aconteceu”. Ainda bem que, pelo menos, as roupas eram reais, não é?

Foi dada continuidade ao The Hacker Project.

Assim como na Gucci Aria, desfile que celebrou o centenário da marca, tiveram elementos típicos da Balenciaga, Gvasalia mesclou referências da Gucci, como o cinto com dois Bs e itens em tons de bege e preto e cinza, com o intuito de questionar ideias de falsificação, apropriação e autenticidade na indústria da moda. “Alessandro e eu somos muito diferentes. Mas nós dois gostamos de questionar toda essa questão em torno de branding e apropriação… porque todo mundo faz isso, quer digam ou não”, declarou Gvasalia.

A alfaiataria era desconstruída e os vestidos foram remedados, drapeados e pregueados para formar casulos. Os casacos estilo casulo apareceram presos com alfinetes e desgastados na bainha. Havia, ainda, casacos oversize, vestidos soltos estampados, looks monoromáticos poderosos e jeans cargo de estilo gótico.

Calças cargo foram transformadas em macacões e saias jeans vieram enfeitadas com tachas de metal, zíperes e bolsos laterais.

Outra peça interessante era o moletom com a estampa de Os Simpsons, em que os personagens aparecem vestindo Balenciaga de coleções anteriores.

O moletom lilás com o escrito bébé se referia ao jeito francês de pronunciar a logo da Balenciaga, além de significar bebê.

O vestido de baile de veludo vermelho que encerrou o desfile foi inspirado na drag Divine. Ele é do mesmo modelo que Dua Lipa usou, mas em preto, na festa do Oscar 2021 do cantor Elton John. Esse look me lembrou modelos de alta-costura de Cristóbal Balenciaga da década de 1950, que eram super justos e tinham a bainha de balão.

Quanto aos sapatos, alguns enfatizavam o formato dos dedos dos pés, outros tinham o bico quadrado ou super pontiagudo.

Por fim, destaco que será lançada a colaboração Balenciaga Crocs 2.0, em que o tamanco de borracha ganha novos saltos.

Confira a seleção de looks:

Gostou do post? Compartilhe-o!

Siga-me no instagram: @passarelando

Acompanhe minha página no Facebook: Passarelando

Acompanhe-me no Youtube