Spread the love

Esse momento de introspecção causado pela pandemia coronavírus tem servido como oportunidade para muitas empresas repensarem o negócio. Esse é o caso das grifes Jimmy Choo, Michael Kors e Versace.

Tanto a questão da produção quanto as Fashion Weeks em relação à sustentabilidade tem chamado a atenção da indústria da moda. Assim, as marcas estão se movimentando no sentido de ampliar suas metas ambientais, muito mais do que o planejado antes da pandemia.

Compromissos da Capri Holdings

No Dia da Terra, ocorrido no último dia 21/4, o grupo de luxo Capri Holdings Limited, dono da Versace, Michael Kors e Jimmy Choo, anunciou seus planos de se tornar 100% neutro em carbono em suas operações diretas e fornecer 100% de energia de fontes renováveis para suas instalações próprias e operadas até 2025.

Além disso, a empresa também se comprometerá a estabelecer metas de redução de emissões em todas as suas operações e cadeira de suprimentos até 2021, usando a iniciativa Metas Baseadas na Ciência.

A Capri Holdings também anunciou mais iniciativas:

  • Todo o plástico de embalagem deve ser reciclável, comportável, reciclado ou reutilizável até 2025;
  • 100% dos materiais de embalagem no ponto de venda serão recicláveis ou de fontes sustentáveis até 2025;
  • Parceria com os principais fornecedores para reduzir o uso da água;
  • Rastreabilidade de sua cadeia de suprimentos;
  • Compra de pelo menos 95% de seu couro de curtumes certificados até 2025;
  • Promoção da diversidade e inclusão na organização, inclusive por meio do novo Conselho Global de D&I da empresa;
  • Programadas de empoderamento focados em direitos humanos e salários justos a serem implementados de acordo com o quadro das Nações Unidas para a Ação Corporativa sobre Saúde e Empoderamento das Mulheres no Local de Trabalho até 2025.

Outras grandes marcas já tiveram notícias relacionadas à “neutralidade de carbono”. A Gucci anunciou no ano passado objetivos semelhantes. Em seu último desfile na Semana de Moda de Londres, a Burberry anunciou que seu desfile foi carbon neutral.

Pronunciamento do CEO

“Estamos orgulhosos das ações que nossa empresa está adotando para promover mudanças ambientais e sociais positivas em nossa organização e em nosso mundo”, disse John D. Idol, Presidente e CEO da Capri Holdings. “No início do ano passado, logo após a criação do nosso grupo global de moda de luxo, a Capri Holdings, avaliamos os esforços de sustentabilidade que cada uma de nossas marcas já estava empreendendo, juntamente com os principais valores compartilhados por elas. Também consideramos as responsabilidades que mantemos coletivamente em relação ao meio ambiente, às comunidades em que operamos e às pessoas com quem trabalhamos. Reconhecemos que, à medida que nossa empresa cresce, aumentam nossas responsabilidades e agradecemos a oportunidade de fazer mais. Acreditamos que políticas ambientais e sociais sólidas são eticamente corretas e fiscalmente responsáveis. Para esse fim, estamos comprometidos em melhorar a maneira como trabalhamos para melhorar o mundo em que vivemos. ”

Pactos assinados

Dessa forma, a Capri Holdings assinou o Pacto Global das Nações Unidas, confirmando seu compromisso de alinhar suas estratégias e operações com princípios de direitos humanos, trabalho, meio ambiente e anticorrupção e seu compromisso de promover metas relacionadas à sustentabilidade.

A Capri Holdings assinou também os Princípios de Empoderamento da Mulher da ONU, o Pacto da Moda, a Ação do CEO pela Diversidade e Inclusão e o Juramento Aberto a Todos.

Por fim, vale lembrar que a Capri Holdings é signatária do Fashion Pact, pacto que visa a redução de impactos no meio ambientes causados pela indústria da moda.