Destino Chanel foi a primeira coleção da nova fase da Maison pós-Lagerfeld.

Virginie Viard, a nova diretora criativa da Chanel, trabalhou ao lado de Karl Lagerfeld por mais de 30 anos. 

Antes de Karl Lagerfeld falecer, ele e Viard falaram sobre a ideia de uma estação de trem no estilo Beaux Arts para o set. A fundadora da Maison, Gabrielle Chanel, era encantada pela ideia de os amantes se reunirem nas plataformas das estações. Até serviu de plano de fundo para o início do romance de Gabrielle e Boy Capel. 

Havia estampas em tons pastel em vestidos de chiffon em camadas como uma paisagem vista de uma janela, borrada pela velocidade do trem. A renda guipura tinha mecanismos dos relógios da estação tanto em blusas quanto em bolsas. 

Lindos casacos de tweed, leggings estampadas com emblemas Cs, saias curtas clássicas de tweed branco e belos vestidos de chiffon ou renda que evocavam o visual de Chanel no final da década de 30. 

Destaco os conjuntos com calças amplas e botões metálicos, os conjuntos brancos de tweed e os toques de cores vibrantes que permearam a coleção. 

Quanto às bolsas, há novos modelos de viagem, colocados como um estojo e pendurados no ombro, smart bumbags dobrados sobre ternos brancos e cintos finos que ostentavam duas bolsas acolchoadas. 

Com estilo dos anos 60, ankle boots e sapatilhas de dois tons combinavam com terninhos. 

No desfile da Chanel, os lenços estavam em alta! Usado com camisa branca, calça branca e cardigã, é uma alternativa para os chapéus de palha! 

Confira a seleção de looks:

 

Fonte: British Vogue.