Spread the love

A Netflix nos deu um presentão de Natal, que foi a sua mais nova série de época Bridgerton.

Atenção: esse post não contém spoilers!

A primeira temporada de Bridgerton é baseada no livro “O duque e eu”, o primeiro da coleção de livros “Os Bridgertons” de Julia Quinn, e foi produzido por Shonda Rhimes (a mesma produtora de Grey’s Anatomy). Ellen Mijornick foi a responsável pelo figurino lindo.

A série se passa no início do século XIX, mais precisamente em 1813, época com temporadas de grandes bailes e eventos da alta sociedade londrina no Período Regencial.

Para criar as peças de roupa, a figurinista disse à The Cut que se inspirou nas obras da pintora irlandesa Genieve Figgis. Além disso, ela teria se inspirado na exposição Christian Dior: Designer of Dreams.

“Apesar de termos tornado o período da regência em ficção, ainda havia uma verdade básica a ser mantida. Isso significa que as mulheres trocavam de roupa muitas vezes. Elas usavam um vestido diferente para cada baile, além da quantidade de peças usadas entre do café da manhã até o jantar. Então nós sabíamos que seria um grande, grande empreendimento”, conta Mijornick.

Para compor o figurino da série Bridgerton, foram criadas do zero cerca de 7500 peças de roupa, fora todos os acessórios. Só Phoebe Dynevor, que interpreta a protagonista Daphne Bridgerton, teve 104 trocas de roupa! Para produzir tudo isso, foram necessários cinco meses.

A equipe de Mijornick era composta de mais de 230 pessoas. “Tínhamos quatro cortadores, um fabricante de espartilhos, um departamento de enfeites, fabricantes de calçados, joalheiros, chapeleiros”, declarou.

Além de peças adquiridas de revendedores, o artesão e designer de joias Lorenzo Manciati, criou algumas peças ao longo das gravações. Enquanto que as coroas teriam sido adquiridas na Itália e no Reino Unido, as peças dos personagens principais são parte do acervo da Swarovski.

Quanto aos espartilhos, Mr. Pearl foi o responsável por fornecê-los para a série. “As mulheres naquela época eram mulheres com espartilhos, embora seus espartilhos fossem muito menos [intensos] do que na época vitoriana. Os vestidos são adornados para que as mulheres fiquem bonitas [e chamem a atenção de um marido em potencial], mas o foco está sempre no busto”, disse Mijornick. “Não há dois espartilhos que sejam iguais. E se há um busto ou um shape que precisasse ser ajustado para o traje, ele [Mr. Pearl] sabe como criar uma estrutura para poder atender a este requisito”. completou.

Para permanecer fiel ao período e dar às atrizes uma peça que pudesse ser menos desconfortável, Mr. Pearl projetou meio-espartilhos para a série.

Os queridinhos da época não poderiam falta: a silhueta império, muito associada à Imperatriz Josephine Bonaparte. O toque de modernidade teria ficado por conta dos bordados, mais extravagantes do que os usados no período. Os Bridgertons usavam tons de azul, prata e verde, contrastando bem com as cores fortes e estampas florais usadas pela família Featherington (achei essa parte muito fiel ao livro!).

A Rainha Charlotte da Inglaterra, na vida real, usava uma silhueta com espartilho e uma grande saia em arco, com anáguas mais grossas e cintura com corte mais baixo, bem no estilo do século XVIII. Na série, essa silhueta foi mantida, mas o que mudava era o penteado, bem como a cor do cabelo.

No século XIX, para as damas serem apresentadas à rainha, a norma era que as damas deviam usar penas de avestruz na cabeça e as solteiras deviam usar vestidos brancos sem cauda. No episódio em que as damas são apresentadas à Rainha Charlotte da Inglaterra, as Featheringtons acertaram quanto aos acessórios e a or do vestido (quem diria que elas teriam acertado alguma coisa, não é?), mas erraram ao usar caudas mais longas.

Além do figurino, acho importante destacar a diversidade do elenco, tradição da Shondaland. Uma das razões para isso é que muitos historiadores consideram que a Rainha Charlotte da Inglaterra, casada com o rei George III, teria sido o primeiro membro mestiço da família real britânica. Mesmo a rainha sendo branca na vida real, Golda Rosheuvel, que é negra, foi escolhida para o papel. Há ainda mais papéis importantes como o Duque de Hastings e Lady Danbury interpretados por atores negros.

Isso pode ser um pequeno passo pela perspectiva atual, mas é significativo ter atores negros em papéis de aristocratas num romance de época.

Confira mais fotos do figurino da série:

Bom… esse foi o post com as informações e curiosidades do figurino da série Bridgerton. Não sei vocês, mas eu já quero a segunda temporada!

Gostou do post? Compartilhe-o!

Siga-me no instagram: @passarelando

Acompanhe minha página no Facebook: Passarelando

Acompanhe-me no Youtube

Site | + posts

Bacharela em Direito e apaixonada por moda. Criadora do Passarelando. Escrevo sobre moda, história e arte, além de tendências, dicas, looks de Tapete Vermelho, inspirações para looks do dia e o melhor das Semanas de Moda Nacionais e Internacionais.