Para a coleção de Outono da Balenciaga, Demna Gvasalia, diretor criativo, dedicou tempo para trabalhar em processo de alta tecnologia habilitado para computador, para criar peças femininas e masculinas.

Os corpos foram digitalizados em 3-D, as “provas” foram feitas em um arquivo de computador e os moldes foram impressos.

Tecidos tradicionais como tweed, lã e veludo foram ligados a uma espuma leve. Na passarela, os modelos caminhavam com suas jaquetas e casacos elegantes de forma idêntica.

No cenário, uma montanha de neve falsa, penhascos e fendas com logotipos da Balenciaga, um sinal da paz e o slogan “Be Aware” (“tenha consciência”) grafitados. Gvasalia descreveu como “um tipo de paraíso dos snowboarders desde o início dos anos 90. Marcamos isso com todas as coisas que estávamos falando no estúdio na época.”

Havia casacos sobre casacos sobre camisas de flanela, que foram empilhados progressivamente. No final, uma enorme parka de nylon turquesa e duas peles falsas, que se reconectaram com o volume e o glamour dos vestidos de bolha Balenciaga dos anos 50.

O desfile incluiu produtos de marca do Programa Mundial de Alimentos que serão vendidos para beneficiar a instituição de caridade das Nações Unidas que atua para erradicar a fome e a desnutrição. Além disso, uma doação de US$ 250.000 foi feita pela grife para o fundo. “Você vê, eu não quero ser apenas um homem de camiseta e capuz. Nós os vendemos, é claro -, mas sinto que tenho a responsabilidade de fazê-lo de maneira que traga uma mensagem.

 

Fonte: Vogue Runway.