As últimas polêmicas envolvendo a Balenciaga - PASSARELANDO

As últimas polêmicas envolvendo a Balenciaga

Spread the love

A Balenciaga voltou a ganhar destaque nas redes sociais nesses últimos tempos, mas por razões polêmicas.

A Balenciaga sempre aposta na criatividade, no diferente e no que choca para chamar a atenção, mas, dessa vez, ela foi longe demais.

O motivo de a marca espanhola estar nos holofotes seria sua mais recente campanha para promover presentes de fim de ano. A maison foi acusada de incitar pedofilia pela utilização de modelos infantis em sofás e camas com bolsas de bichos de pelúcia com roupas de práticas sadomasoquistas. Também aparecem nas cenas taças de vinho e de champanhe vazias, algemas e coleiras e desenhos perturbadores.

As fotos são do fotógrafo Gabriele Galimbert, autor do projeto “Toy Stories”, uma série de fotos com crianças e seus brinquedos.

Além disso, em uma das fotos, aparece embaixo da bolsa “Hourglass” em colaboração com a Adidas a impressão de um trecho de uma ação judicial da Suprema Corte dos EUA de 2008, caso Estados Unidos x Williams, que tratava constitucionalidade da proibição de pornografia infantil.

A Balenciaga veio à público pedir desculpas: “Pedimos sinceras desculpas por qualquer ofensa que nossa campanha de fim de ano possa ter causado. Nossas sacolas de pelúcia não deveriam ter sido apresentadas com crianças nesta campanha. Removemos imediatamente a campanha de todas as plataformas”.

Quanto à aparição da ação judicial, a marca declarou: “Pedimos desculpas por exibir documentos perturbadores em nossa campanha. Levamos este assunto muito a sério e estamos tomando medidas legais contra as partes responsáveis por criar o conjunto e incluir itens não aprovados para nossa sessão de fotos da campanha de Primavera 2023. Condenamos veementemente o abuso de crianças de qualquer forma. Defendemos a segurança e o bem-estar das crianças”.

Com certeza as campanhas passaram pelo crivo de várias pessoas do alto escalão da grife, além de terem funcionários participando de todo o processo de produção e edição dos anúncios.

Os pedidos públicos de desculpas e a retirada das campanhas do ar foi o mínimo que a Balenciaga deveria ter feito e só o fez porque as críticas estavam começando a ficar pesadíssimas.

No dia 25 de novembro de 2022, a Balenciaga ajuizou ação contra a produtora North Six Inc e seu agente Nicholas Des Jardins, pedindo o valor de US$ 25 milhões em danos. A grife alegou que os réus incluíram os documentos nas fotografias sem o seu conhecimento ou autorização.

Em declaração ao The Washington Post, Gabriela Moussaieff, agente de Des Jardins, disse que os documentos “foram obtidos de uma casa de adereços que eram peças de aluguel usadas em filmes [e] sessões de fotos” e que “todo mundo da Balenciaga estava nas filmagens e presente em todas as tomadas e trabalhou na edição de todas as imagens na pós-produção”.

O fotógrafo Gabriele Galimbert declarou: “Não estou em posição de comentar as escolhas da Balenciaga, mas devo ressaltar que não tive direito de forma alguma de escolher os produtos, nem os modelos, nem a combinação deles. Como fotógrafo, fui solicitado apenas e exclusivamente para iluminar a cena e tirar fotos de acordo com meu estilo de assinatura. Como de costume em uma sessão comercial, a direção da campanha e a escolha dos objetos expostos não estão nas mãos do fotógrafo”.

A polêmica não parou por aí.

Depois disso, a maison postou em seu Instagram novos anúncios que, à primeira vista, pareciam inofensivos.

Acontece que, no fundo da foto, em uma pilha de livros acima da mesa, há o livro “Fire From The Sun”, do artista belga Michael Borremans, em que retrata crianças pequenas em atos lúdicos, mas com conotações sinistras e insinuações de violência, abuso e canibalismo. Elas aparecem sozinhas ou em grupo brincando com fogo e com membros do corpo humano, algumas cobertas de sangue e, até, em processo de desaparecimento com corpos fantasmas.

Gostou do post? Compartilhe-o!

Siga-me no instagram: @passarelando

Acompanhe minha página no Facebook: Passarelando

Acompanhe-me no Youtube

Autor: Lívia Corazza

Bacharela em Direito e apaixonada por moda. Criadora do Passarelando. Escrevo sobre moda, história e arte, além de tendências, dicas, looks de Tapete Vermelho, inspirações para looks do dia e o melhor das Semanas de Moda Nacionais e Internacionais.