Spread the love

Coronavírus (COVID-19). O mundo todo está na luta para conter a pandemia, considerada “inimigo comum da humanidade” pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Assim, as marcas mais poderosas da moda estão fornecendo ajuda à comunidade médica e às vítimas da COVID-19.

Vale lembrar que as grandes marcas de luxo também são diretamente atingidas, já que suas fábricas e ateliês pararam de funcionar na China e na Itália. Além disso, várias delas também fecharam suas lojas temporariamente.

A seguir, confira as doações dos poderosos da moda para o combate ao coronavírus.

Moncler

A Moncler anunciou que doará €10 milhões (R$ 54,9 milhões) para a construção de um novo hospital em Milão, que terá 400 unidades de terapia intensiva.

“Milão é uma cidade que tem dado a todos um tempo extraordinário. Nós não podemos nem devemos abandoná-la. É dever de todos retribuir à cidade que nos deu tanto”, disse Remo Ruffini, CEO da Moncler.

LVMH

O grupo LVMH – conglomerado de luxo que possui marcas como Louis Vuitton, Christian Dior e Givenchy – anunciou que começará a usar algumas de suas instalações para produzir seu próprio desinfetante para as mãos em resposta à escassez na França causada pelo coronavírus. “A LVMH usará as linhas de produção de suas marcas de perfumes e cosméticos para produzir grandes quantidades de géis hidroalcoólicos a partir de segunda-feira. Esses géis serão entregues gratuitamente às autoridades sanitárias [francesas]”.

 

O grupo anunciou que começará a converter três de suas instalações de fabricação de perfumes para fazer o desinfetante. Assim, a LVMH espera produzir 12 toneladas de gel hidroalcoólico no lote inicial.

Além disso, a LVMH doou US$ 2,2 milhões (R$11,2 milhões) à Sociedade da Cruz Vermelha da China.

Richemont Group

De acordo com Jonathan Ho, o Grupo Richemont – conglomerado suíço de luxo proprietário da Cartier, Van Cleef & Arpels e Chloé, prometeu US$ 1,5 milhão (R$ 7,5 milhões) ao combate ao coronavírus.

Giorgio Armani

O estilista Giorgio Armani doou €1,25 milhão (R$ 6,25 milhões) a vários hospitais e instituições italianas envolvidos no combate ao coronavírus.

Bulgari

A Bulgari fez uma doação ao departamento de pesquisa do Instituto Lazzaro Spallanzani, em Roma, uma das primeiras equipes médicas a isolar o DNA do COVID-19. A doação permitiu ao hospital adquirir um sistema microscópio de aquisição de imagens, essencial para avançar nas pesquisas que levarão à prevenção e tratamento do vírus.

Dolce & Gabbana

Domenico Dolce e Stefano Gabbana, da Dolce & Gabbana, decidiram apoiar a pesquisa liderada pelos professores Alberto Mantovani e Cecilia Garlanda da Universidade Humanitas, que investigam possíveis soluções para combater o COVID-19 e conduzida em colaboração com os virologistas Elisa Vincenzi e Massimo Clementi da Universidade San Raffaele.

Versace e Donatella Versace

A Versace doou US$ 143.400 (R$ 721.302,00) à Fundação da Cruz Vermelha Chinesa para ajudar a aliviar a escassez de suprimentos médicos no país.

Donatella Versace e sua filha Allegra doaram €200 mil (R$ 1,082 milhão) ao hospital San Raffaele para apoiar a luta contra o coronavírus. O dinheiro foi destinado ao departamento de terapia intensiva do hospital.

“Em tempos como este, é importante estarmos unidos e apoiarmos, no entanto, podemos ajudar todos os que estão na linha de frente, lutando todos os dias para salvar centenas de vidas”, disse a estilista em comunicado. “Nosso coração se dirige a todos aqueles que foram afetados por esta doença e a todos os médicos e equipes médicas que têm trabalhado heroicamente sem parar nas últimas semanas, no esforço de cuidar de nossos entes queridos”.

Kering

O grupo Kering, dono de empresas como Gucci, Yves Saint Laurent e Alexander McQueen, fez uma doação de US$ 1,08 milhão (R$ 5,432 milhões), em nome de suas treze marcas de moda e luxo para a Fundação da Cruz Vermelha de Hubei.

Hermès

A Hermès prometeu cinco milhões de yuans (R$3,550 milhões) à Fundação China Soong Ching Ling, honrando os profissionais médicos que estão lutando na linha de frente contra o COVID-19.

Chiara Ferragni

A influenciadora e empresária Chiara Ferragni e seu marido Fedez arrecadaram mais de €3,6 milhões (R$ 19,476 milhões) para ajudar a combater a epidemia do coronavírus na Itália por meio da campanha Go Fund Me.

Além disso, o casal também fez uma doação pessoal de €100 mil (R$ 541 mil) para ajudar a financiar novas camas hospitalares no hospital de San Raffaele, em Milão.

Sergio Rossi

A Sergio Rossi doou €100 mil (R$ 541 mil) para um hospital em Milão e doará 100% dos lucros de suas vendas online entre 14 e 20 de março para ajudar a Itália no combate ao coronavírus.

Prada

A Prada financiará duas novas UTIs em hospitais de Milão.

Marco Bizzarri

O diretor executivo da Gucci doou, pessoalmente, mais de US$ 100 mil (R$ 504 mil) a hospitais da região de Emilia-Romagna, na Itália, que possui alguns dos maiores números de pacientes infectados pelo COVID-19.

Fendi

Silvia Venturini Fendi doará €100 mil (R$ 541 mil) pela Fundação Carla Fendi para ajudar na luta contra o coronavírus.

Christian Siriano

Christian Siriano produzirá máscaras de proteção. “Eu ainda tenho uma equipe de costura completa trabalhando em casa que pode ajudar”, declarou o estilista via Twitter.

Ermanno Scervino

Ermanno Scervino converteu parte de sua produção para a criação de máscaras a serem doadas a hospitais. Graças à ajuda de artesãos da marca, que continuam suas atividades em conformidade com as medidas de segurança, os ateliês já estão trabalhando para disponibilizar máscaras de proteção.

Riachuelo

Conforme publicado em seu Instagram, a Riachuelo produziu mais de dez mil aventais hospitalares para doação a associações e órgãos de saúde do Brasil.

Renner

A Lojas Renner doará R$ 4,1 milhões a hospitais para o combate ao coronavírus. O valor será destinado à compra de insumos em hospitais das regiões Sul e Sudeste.

A empresa afirmou que também dará suporte a comunidades da região Sul.

Mayhoola

A Mayhoola, controladora de Valentino, Balmain e Pal Zileri, doará €2 milhões para ajudar a Itália no combate do coronavírus.

Metade do valor irá para a Unidade de Tratamento Intensivo do Hospital Sacco, em Milão. A outra metade irá pra a Protezione Civile Italiana.

“Nossas fábricas e escritórios de produção estão espalhados pelas diversas e belas regiões italianas: Lazio, Lombardia, Piemonte, Veneto, Toscana e muitas outras”, continuou o porta-voz. “É absolutamente notável como a Protezione Civile Italiana está operando em todo o país e a maneira pela qual ela está continuamente por trás das necessidades dos cidadãos italianos”.

Ralph Lauren

A Ralph Lauren Corporate Foundation anunciou que doará $10 milhões para ajudar a combater o COVID-19.

Além disso, a Ralph Lauren está se preparando para produzir luvas e máscaras de proteção

Além desses, Adrian Cheng, diretor executivo da Hong Kong New World Development, diretor executivo da joalheria Chow Tai Fook e fundador do K11 Group e da C Ventures, apoiou a luta contra o COVID-19 em Hong Kong. O empresário montou uma produção de máscaras para distribuir gratuitamente, além de investir US$ 10 milhões (R$ 50,4 milhões) em aplicações de nanotecnologia.

L’Oréal, Estée Lauder Cos. Inc., Shiseido Co. Ltd. e Swarovski também doaram para a causa.

Recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS)

De acordo com a OMS, quando alguém que tem coronavírus (COVID-19) tosse ou exala, libera gotículas de líquido infectado. A maioria dessas gotículas cai em superfícies e objetos próximos. Assim, as pessoas podem pegar o COVID-19 tocando superfícies ou objetos contaminados – e depois tocando seus olhos, nariz ou boca. Se estiverem a menos de um metro de uma pessoa com coronavírus, eles podem pegá-lo respirando gotículas tossidas ou exaladas por elas.

O que fazer para evitar a transmissão:

  • Lave as mãos frequentemente com água e sabão por PELO MENOS 20 segundos. Se não tiver água e sabão, use álcool em gel a 70%;
  • Não compartilhe objetos de uso pessoal com outras pessoas;
  • Evite tocar as mucosas dos olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas;
  • Proteja a boca e o nariz com lenço de papel ou com o braço (e não as mãos) ao tossir ou espirrar;
  • Evite contato próximo com pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença (febre, tosse, dificuldade em respirar);
  • Evite aglomerações.

Se puderem, fiquem em casa! 

 

Gostou do post? Compartilhe-o!

Siga-me no instagram: @passarelando

Acompanhe minha página no Facebook: Passarelando