Spread the love

Em homenagem ao Dia Internacional das Mulheres, resolvi criar esse post com 7 mulheres que revolucionaram a moda.

As 7 mulheres que revolucionaram a moda são grandes nomes da História da Moda do século XX. Confira:

Coco Chanel

Não poderia deixar de começar essa lista de mulheres que revolucionaram a moda com uma das estilistas mais influentes da moda no século XX.

Coco Chanel criou peças de silhuetas esportivas com linhas simples, bem diferente do espartilho e da gaiola. Logo no início do século XX, Chanel queria que as mulheres se vestissem de forma tão moderna e confortável quanto os homens. Ela traz muitas peças do guarda-roupa masculino para o feminino, como a marinière, a blusa listrada, peças de tweed.

Além disso, Chanel foi a primeira estilista a usar o Jersey, que normalmente era usado para roupas íntimas, em toda a coleção.

Em 1921, Chanel lançou o Chanel nº5, que foi a primeira fragrância a levar o nome de um designer.

A designer também popularizou o vestido preto (1926), bem como o uso de bijuterias, e criou a bolsa com alças em 1955. Antes, todas as bolsas eram estilo clutches, feitas para carregar na mão.

Elsa Schiaparelli

Elsa Schiaparelli é outra estilista do século XX que não poderia faltar da lista de mulheres que influenciaram a moda. Ela ficou famosa por combinar a moda e a arte.

Schiaparelli fundou sua marca em 1927. No mesmo ano em que inaugurou seu ateliê, em 1928, ela lançou seu perfume “S”. Ela foi a primeira a criar um acordo de licenciamento de marca.

Ela criou o primeiro pulôver tricotado à mão com estampa trompe-l’oeil. Vieram em preto e branco, preto e cores vivas, geométrico, esqueleto, tatuagem de marinheiro, entre outros.

É a primeira a utilizar zíperes aparentes, inclusive coloridos de plástico, na alta-costura. Cria e patenteia o maiô com sutiã embutido na peça para dar sustentação  aos seios, estrutura que também usa em seus vestidos.

Schiaparelli também criou a primeira jaqueta de noite para ser usada com vestidos.

Colaborou com artistas como o pintor Jean Durand, o escultor Alberto Giacometti, Salvador Dalí e Jean Cocteau.

Inspirada pelo surrealismo, trouxe vestido com estampa de esqueleto, vestido com estampas que simulam cortes na pele, chapéu em forma de sapato, insetos em chapéus, dentre muitas outras.

Em 1933, Schiaparelli cria a primeira “linha aerodinâmica”, feita com babados. Além disso, ela desenvolve o crepe de raiom triturado (semelhante à casca de árvore), um precursor dos tecidos enrugados com pregas permanentes usados hoje.

Em 1933, ela foi a primeira estilista feminina a ser capa da revista TIME e criou o rhodophane, um tecido tão transparente e frágil como o vidro.

Por conta do seu perfume Schocking, lançado em 1937, Schiaparelli popularizou o rosa-choque, que se transformou em grande assinatura para sua marca.

Madeleine Vionnet

A costureira Madeleine Vionnet trabalhou para Jacques Doucet em 1907 e para a sua primeira coleção, trouxe vestidos sem espartilho e suas modelos andavam descalças, inspirada pela dançarina Isadora Duncan.

Em 1912, Vionnet abriu seu próprio ateliê, fechou-o durante a Primeira Guerra Mundial e reabriu-o após o fim do conflito.

Suas criações evocavam uma feminilidade que falava de liberdade, independência e experimentação. Foi muito inspirada pelo design grego clássico.

Ela também se inspirou em movimentos da arte contemporânea, como o cubismo.

A costureira desenvolveu o corte enviesado. Vionnet precisava cortar, drapear e prender o tecido em uma boneca de madeira, trabalhando em uma superfície redonda em vez de bidimensional. Isso permitiu que criasse peças que se ajustavam ao corpo da mulher, sem a necessidade de corpetes.

Em 1926, Vionnet lançou o primeiro vestido todo em viés.

“Quando uma mulher sorri, seu vestido também deve sorrir”, declarou a “arquiteta das costureiras.

Jeanne Lanvin

Lanvin é a casa de moda de alta-costura francesa mais antiga ainda em funcionamento. Ela foi fundada por Jeanne Lanvin em 1889, com suas próprias economias.

Ela começou vendendo chapéus. O que mudou foi o nascimento de sua filha Marguerite, que a inspirou a criar roupas infantis. Em 1909, Lanvin lançou uma coleção infantil (a primeira estilista a fazer isso) e uma feminina, que foram um sucesso, e logo passou a integrar a Chambre Syndicale de la Couture, passando de modista para estilista.

Em 1920, durante um evento promovido por Paul Poiret, Lanvin conheceu o arquiteto-decorador Armand-Albert Rateau. Juntos, eles criaram um pavilhão dedicado à moveis, tapetes, cortinas, vitrais, papel de parede com estilo Art Déco.

O departamento de sportswear foi aberto em 1923. Lanvin desenhou roupas para natação, passeios a cavalo, tênis e esportes de inverno.

Lanvin foi a primeira a oferecer uma coleção masculina sob medida em 1926.

Em 1920, ela criou os robes de style, peças com cintura marcada e saias rodadas, inspirados pelos painers do século XVIII.

Gostava de criar peças que davam liberdade à mulher, dando preferência para tecidos fluidos.

Diane Von Furstenberg

Diane von Furstenberg foi a responsável pela criação do Wrap Dress, o vestido envelope, em 1974.

O vestido envelope foi um sucesso por ser adequado a todos os tipos de corpo, valorizando a silhueta, e de estilo.

Zuzu Angel

Zuleika de Souza Netto, mais conhecida como Zuzu Angel, foi uma estilista brasileira, nascida em Curvelo, Minas Gerais.

Ficou famosa por ter trazido a identidade brasileira aos seus designs com cores e bichos tropicais e materiais nacionais, além de ter utilizado conchas, bambu, madeira, pedras brasileiras e chita em suas peças.

Zuzu abriu uma loja de roupas em Ipanema em 1970, que fazia muito sucesso. Ela expandiu seu trabalho e chegou aos Estados Unidos.

A estilista foi a primeira aqui do Brasil a colocar a etiqueta do lado de fora das roupas.

A partir do desaparecimento de seu filho Stuart, que combatia a ditadura militar, ela passou a buscar informações sobre o paradeiro do filho e a usar a moda como forma de protesto. Em 1971, Zuzu realizou um desfile no consulado brasileiro, em Nova York, com peças que denunciavam a ditadura como tanques, canhões, pássaros engaiolados e anjos amordaçados e feridos.

Vivienne Westwood

Vivienne Isabel Swire, mais conhecida como Vivienne Westwood, nasceu em Glossop, Inglaterra, no ano de 1941.

Ela trouxe o estilo punk para a moda na década de 1970 quando esse estilo era restrito aos homens e sempre lutou contra o convencionalismo e as tendências.

No início da década de 1970, Westwood fundou a loja SEX com Malcolm McLaren. Nela, a estilista vendeu suas roupas feitas à mão intencionalmente de má qualidade, como camisetas com seios estampados, símbolos religiosos e calças bondage.

O punk estilo punk também veio com roupas com ideias e causas políticas. Ela e McLaren ganharam popularidade quando os integrantes da banda Sex Pistols usaram seus designs. Quando o punk se tornou mainstream e com o colapso da banda, Westwood ficou desencantada e em 1980, a loja foi batizada como World’s End, nome usado até os dias atuais.

Gostaram das mulheres que influenciaram a moda? Sei que trouxe apenas sete, mas com certeza existem muitas outras mulheres incríveis que contribuíram e que contribuem para a moda.

Por fim, gostaria de agradecer o Professor João Braga por ter me sugerido essas mulheres incríveis e o meu amigo Silvio Yuji por ter feito a arte da capa!

Gostou do post? Compartilhe-o!

Siga-me no instagram: @passarelando

Acompanhe minha página no Facebook: Passarelando

Acompanhe-me no Youtube

Site | + posts

Bacharela em Direito e apaixonada por moda. Criadora do Passarelando. Escrevo sobre moda, história e arte, além de tendências, dicas, looks de Tapete Vermelho, inspirações para looks do dia e o melhor das Semanas de Moda Nacionais e Internacionais.