“Eu queria olhar para as mulheres que me cercaram quando cresci. Isso me ajudou a fazer escolhas e a construir a minha estética”, explicou Nicolas Ghesquière. “Eu estava e ainda estou cercado por mulheres inspiradoras. Elas me ensinaram quem sou e como ser”, completou.

A respeito da coleção, da sua musa figurativa, o diretor criativo da Louis Vuitton disse que “ela quer ser livre para fazer escolhas”. O estilista pretendeu demonstrar que as mulheres podem ser fortes e usarem roupas bem femininas ao mesmo tempo.

Saias de pregas e vestidos para o dia, com detalhes como botões, cintos e colares. Saias e elementos da alta burguesia como bandas de ombro e logotipo LV que poderia ter sido usado nos uniformes dos astronautas, dado o design.

Além disso, havia tweed e saias de couro acima do joelho, todas com a cintura marcada. Algumas tinham uma impressão dourada como estampa. Sobreposições de bustiers com botões de ouros sobre suéteres felpudos.

Apenas uma luva na mão da bolsa e bolsas com estampas que pareciam circuitos da placa-mãe de computador.

Confira:

 

Fonte: British Vogue.